projetos

jp solo 2 - daniel kersys

João Paulo Amaral SOLO 

Espetáculo abrange desde ponteios e ritmos tradicionais da viola brasileira, até harmonias contemporâneas e influências de outros universos musicais. O repertório instrumental composto de obras autorais e arranjos contempla os diversos sotaques da viola brasileira, passando por gêneros como a polca mato-grossense, a catira, o pagode caipira, o baião nordestino, entre outros. Conta com uma homenagem ao lendário violeiro Tião Carreiro, a partir de uma seleção especial de seus mais interessantes solos de pagodes de viola. Espaço também para clássicos como Cuitelinho (Domínio Público), interpretados na voz do violeiro. Aliando experiência, técnica e sensibilidade, o show solo permite uma audição privilegiada da sonoridade única da viola de dez cordas, além de evidenciar toda a intimidade entre artista e instrumento, rica de detalhes e nuances. A apresentação também é permeada de comentários sobre as canções, a história e a tradição da viola. Sobre João Paulo Amaral, escreveu o  renomado violeiro Ivan Vilela “…só pelo tanto que toca já deixou seu nome impresso na história da viola.” VIDEO SHOW SOLO


JPA trio 1 - claudia geronymoJoão Paulo Amaral TRIO

A partir de 2010, com o lançamento do CD “Viola Brasileira”, João Paulo Amaral inaugura uma formação e proposta inédita: um trio formado por viola caipira, baixo acústico e bateria, ao lado respectivamente dos reconhecidos músicos Alberto Luccas e Cléber Almeida. Apresentado no Brasil e exterior, o trabalho foi elogiado por nomes como o violonista Paulo Bellinati: “Em Viola Brasileira descobrimos uma viola do futuro, perfeitamente harmonizada com o baixo e bateria”. O show traz composições instrumentais do violeiro e arranjos que revelam seu domínio como instrumentista desde os ponteios tradicionais da viola até linguagens influenciadas por outros universos musicais como o jazz. Durante a performance transparecem a improvisação e interação entre os músicos. Clássicos como Vide Vida Marvada (Rolando Boldrin), ganharam nova roupagem no arranjo e voz do artista.  O casamento inusitado entre viola, baixo acústico e bateria, surpreende pela sonoridade expressiva, que somada à destreza, musicalidade e às raízes do violeiro, sinalizam para o grande potencial desse instrumento ancestral. VIDEO SHOW TRIO


2013 02 conversa ribeira (69)Conversa Ribeira

www.conversaribeira.com.br

Unindo o canto de Andrea dos Guimarães, a viola caipira e o canto de João Paulo Amaral, o piano e o acordeom de Daniel Muller, o grupo Conversa Ribeira segue o caminho que escolheu percorrer desde sua origem, em 2002: elaborar recriações de canções da música caipira. As interpretações do trio são sínteses cuidadosamente lapidadas em que ao modo caipira de cantar e tocar se sobrepõem diferentes concepções de arranjo, harmonia e interpretação, na busca de realçar a beleza e expressividade de cada canção. Conversa Ribeira colhe frutos de uma trajetória rica, com apresentações por todo o país e também no exterior – representou o Brasil em festivais no México e em Portugal. Com dois CDs lançados, foi selecionado no Projeto Pixinguinha (FUNARTE, 2007), Rumos Itaucultural (2008), recebeu prêmios como Inovação do Festival Voa Viola (2011) e Troféu Catavento (Rádio Cultura SP, 2014). Em 2012, o grupo criou arranjos orquestrais para parte de seu repertório e realizou concertos com a Orquestra Municipal de Jundiaí e Orquestra Sinfônica de Sorocaba. Apresentou-se ao lado de artistas  como Guinga, Monica Salmaso e Paulo Freire, além de participar de programas de rádio e TV como Terra da Gente (Globo) e Sr. Brasil(TV Cultura).


Joao e Almir - CD CORDAL 1Cordal

https://www.facebook.com/projetocordal

“Ouvir Cordal é viajar por todos os recantos deste país e redescobrir em cada um deles a beleza, a sofisticação, a simplicidade e a grandeza de sua diversidade musical. Cordas dedilhadas como quem lapida um diamante bruto para oferecê-lo em todo o esplendor de suas múltiplas faces.”(Maria Luiza Kfouri). Almir Côrtes, bahiano de Santo Antonio de Jesus, e João Paulo Amaral, paulista de Mogi das Cruzes, se encontram nesse espetáculo para celebrar seus regionalismos e o lançamento do CD Cordal, primeiro álbum do duo. Promovem uma viagem pelas cordas dedilhadas da viola caipira, bandolim, violão e guitarra, destacando a liberdade e a criatividade por meio de uma abordagem contemporânea dos gêneros populares.  Em abril de 2015, realizaram turnê de lançamento por 7 cidades dos Estados Unidos. A boa repercussão do projeto os levou-os a participar do Instrumental Sesc Brasil além de dividir o palco com nomes como Jovino Santos Neto, Nailor Proveta, Alexandre Ribeiro, Harvey Wainapel e Brian Rice. Além de suas composições, o repertório abrange obras como Fazenda (Nelson Ângelo), Língua de preto (Honorino Lopes), Comitiva Esperança (Almir Sater/P. Simões), Toada (Zé Renato, C. Nucci/J. Filho), Brincando com a viola (Bambico/Z. Bettio) e Expresso 2222 (Gilberto Gil).


ofv_adriano-rosa-51Orquestra Filarmônica de Violas

www.filarmonicadeviolas.com.br

A Filarmônica de Violas surgiu em 2001 na cidade de Campinas/SP, idealizada pelo  violeiro e pesquisador Ivan Vilela, que durante nove anos implementou sua proposta pioneira de aplicar arranjos orquestrados para um grupo instrumental apenas formado por violas caipiras. A partir de 2011, o projeto musical continuou a ser desenvolvido sob a direção e regência de João Paulo Amaral, que também participa como violeiro integrante e cantor do grupo. A Orquestra registrou seu trabalho em dois álbuns homônimos, lançados em 2005 e 2011, recebendo reconhecimento da crítica e público. Atualmente prepara o terceiro disco. Dentre os prêmios e indicações do grupo, destaques para Prêmio Rival-Petrobrás em 2005 na categoria Atitude, prêmios dos editais ProAC para a turnê Viola na Trilha dos Bandeirantes em 2008 e a criação da Plataforma online Filarmônica de Violas em 2015, e Medalha Carlos Gomes da Prefeitura Municipal de Campinas em 2002. Entre gravações e concertos, tocou em espaços como a Sala São Paulo e com nomes como Tinoco, Tetê Espíndola, Irmãs Galvão, Renato Brás, Ana Luiza, Ná Ozetti, Suzana Salles, Ana Gilli, Paulo Freire, Lenine Santos, Nailor Proveta, Alexandre Ribeiro e Fabio Presgrave.